Quarto de bebê montessoriano foge daquele “rosa de menina”

Casal de arquitetos da PB Arquitetura transforma o quarto da filha em ambiente super lúdico

Inspirados pelo método montessoriano, que tem como objetivo estimular a autonomia e liberdade com segurança da criança, o casal de arquitetos Priscila e Bernardo Tressino da PB Arquitetura decoraram o quarto da primeira filha. Medindo 3,5m x 3,5m, o quarto possui uma temática infantil, que segundo Priscila, queria fugir ao máximo daquele “rosa de menina”.

Foi assim que o amigo pintor Fernando Reche transformou as paredes do quarto em um mural todo colorido, sem nada reto, explorando desenhos neutros. “Eu queria um quarto, onde a decoração durasse em outras fases dela também”, explica Priscila Tressino.

A cama no chão é um dos principais elementos do método montessoriano, cuja a prioridade é a autoeducação. Neste tipo de ambiente, os elementos devem ser da altura da criança, para que ela possa ter autonomia de forma segura. Assim, o desenvolvimento da criança é estimulado, e ela passa a explorar melhor o seu próprio espaço. Priscila conta que a proposta da cama escolhida foi exatamente essa: dar autonomia para filha ir e sair da cama sozinha. “O formato de casinha é para criar um ar mais lúdico, que as crianças gostam”, ressalta.

A escrivaninha, os bancos, e a caixa lateral, são de uma altura menor para que a brincadeira possa fluir também. “Futuramente vamos colocar objetos como lápis de cor, papel, giz de cera, e ela poderá pegá-los à vontade”, afirma. Além disso, o cabideiro foi colocado embaixo do trocador, para que ela possa escolher sua própria roupa.

Na parede oposta da cama, um zig zag de tinta verde acrílica foi criado para que, de acordo com Priscila, seja usado quando a filha quiser realizar “sua própria arte”. O espelho é outro elemento montessoriano, pois a partir dele surge o reconhecimento.

Na iluminação, Priscila diz que foi colocado um ponto central de LED para deixar o ambiente bem iluminado, e que preferiu não utilizar nem uma iluminação pontual. Ao invés de escolher um abajur para iluminar quando estivesse amamentando, a arquiteta conta que optou por uma iluminação de fita com mini LEDs, com bolinhas coloridas. “Aquela luz de natal”, explica.

Com uma iluminação de função mais baixa, ela aconselha que é importante ser de LED, pois se a criança quiser brincar com as bolinhas não há risco de se queimar, como uma lâmpada incandescente, por exemplo.

 

_____________________________________________________

 

Salas integradas são realçadas pela cor cinza

Mesmo que o cinza seja uma cor neutra, as salas integradas, de 60 m² desse apartamento, ganharam destaque. A moradora brincava com os arquitetos Priscila e Bernardo Tressino da PB Arquitetura, que não queria nada muito colorido, mas também nada marrom e bege.

A solução foi investir no cinza, conta Priscila. “Eu gosto desse contraste que o cinza cria entre parede, teto e o batente das portas”.

Para serem diferentes do restante da paleta cinza, duas paredes foram marcadas. Uma com deco painel de madeira para fazer o trabalho 3D, juntamente com o espelho, e a outra, com o papel de parede sutil.

A mesa nesse formato foi escolhida devido ao “ar” mais convidativo. Priscila explica que, como é uma mesa de oito lugares, o formato grande dificulta a conversa entre os convidados, mas ao utilizar na forma de elipse ou redonda, o móvel ganha um visual mais aconchegante e agradável. “Nesse projeto, conseguimos utilizar esse formato, pois tínhamos uma metragem maior, porém quando o ambiente é pequeno, fica mais difícil”, aconselha.

Aberto às sugestões, os moradores exigiam um projeto clean e prático. Os arquitetos, então, utilizaram duas poltronas giratórias. Assim, as pessoas conseguem o movimento tanto para a sala de jantar quanto para a sala de estar, e a conversa flui melhor.

Para uma iluminação clean, foram utilizados spots embutidos, uma fita de Led no cortinero entre a sala e o terraço, e um pendente para a mesa de jantar.

Já, o tapete de patchwork com fundo vermelho foi um paradigma quebrado, brinca Priscila. “Os clientes foram resistentes no começo, mas depois adoraram o resultado da combinação do cinza e vermelho do tapete”, ressalta.

Em outra sala a televisão ganhou espaço, porém nessa os moradores preferiram algo mais intimista. Segundo os arquitetos, isso não é tão comum pois geralmente as plantas dos apartamentos são reduzidas.

Salas integradas onde o cinza trouxe aconchego e sofisticação.

 

_____________________________________________________

Apartamento moderno tem quarto geek para mãe e filho

Priscila e Bernardo Tressino da PB Arquitetura equilibraram gostos e tendências

Apaixonados pelo mundo geek, mãe e filho moram em um apartamento de 85 m², em São Caetano do Sul. Para a reforma, o trabalho dos arquitetos Priscila e Bernardo Tressino da PB Arquitetura foi, então, colocar tendências modernas e montar um quarto “nerd” para os moradores.

Ter um cômodo que levasse a cor vermelha era um dos desejos da moradora, mas ela também tinha medo de que o tom fosse pesado demais. Assim, os arquitetos decidiram investir no vermelho para a cozinha, um ambiente não tão visível e que teve o equilíbrio do branco e do preto.

Bernardo explica que os pendentes de lâmpada de filamento de carbono realçaram ainda mais a cozinha moderna, visto que eles podem ser observados da sala também. Já a sala ganhou mais amplitude visual com o coringa “espelho” e um papel de parede neutro com muito brilho.

A bancada também recebeu mais cadeiras. “A ideia é de que a sala conseguisse comportar o maior número de pessoas, pois os moradores adoram receber visitas”, conta Priscila.

Sem se preocupar com a churrasqueira, a ideia da moradora era fazer da varanda gourmet um “cantinho do vinho”, já que a ideia do churrasco sempre ficaria em segundo plano. Para isso, os arquitetos providenciaram um banco de demolição, uma mesa de centro também de demolição, e um piso que mais se parece um tapete.

Outro cantinho especial é o quarto geek. Personagens de desenhos e filmes foram parar nas estantes e nichos desse quarto. A traseira de um Cadllac se transformou em poltronas, a cabine de telefone e a coruja do Harry Potter também fazem parte do cômodo.

Para mais um quarto, a divisória de draywall deu lugar a um closet, mesmo com a pouca metragem do ambiente. Priscila afirma que o papel de parede forte 3D que conseguiu dar destaque, seguindo a linha moderna de todo o apartamento.

O quarto do filho de 11 anos, que se aventura sendo youtuber, precisou de mais espaço para gravações de dicas de vídeo game. A solução encontrada pelos arquitetos foi de elevar a cama, a escrivaninha ficou logo abaixo. E ainda o menino consegue mostrar um visual legal para a câmara, o desenho de um lobo no armário.

Um apartamento que transparece os gostos dos moradores sem deixar de lado as tendências atuais.